Os Opostos Se Atraem - Poesia

A vida ensina a gente
O Mal se paga com o Bem
Daí tiro a conclusão
Nem tudo que Entra Sai
Quem faz uso da Razão
Tá sujeito a Emoção
E os Opostos se Atraem

Início lembra o Final
O Dia persegue a Noite
Carinho atrai Açoite
Tem Páscoa e o Carnaval
O Sim as vezes é Não
O Feio quer o Bonito
O Bom atrai o Maldito
Tem Tostão e tem Milhão

Casaca não é um Terno
Tem o Céu e o Inferno
Tem Luz e a Escuridão
O Ateu fala do Crente
O Burro do Inteligente
O Empregado  do Patrão

Tem Finado e tem Vivente
Tem uísque e Aguardente
Indulto e Condenação
O Velho só quer o Novo
Político procura o Povo
O Doido atrai o São

O Soldado e o Cabuêta
O Punhal e a Baioneta
O Menino e a Punheta
No Braço e Carro de Mão
A Faca e o Canivete
A Moto e a Mobilete
Tem Queda e Ascensão

O Triciclo e a Lambreta
O Trinco e a Maçaneta
O Trinchête e o Facão
O Cadeado e a Tramela
A Porca e a Ruela
Tem o Santinho e o Cão

Engrenagem e Manivela
Caminhoneiro e Banguela
Tem Liberdade e Prisão
O Vendaval e a Bonança
O Perdão e a Vingança
As Trevas e a Claridão

Água mansa e Correnteza
O Tamborete e a Mesa
Avareza e Doação
Subterfúgio e Franqueza
Lentidão e Ligeireza
Galo de Briga e Capão
O Calor e a Frieza
Artífice e Natureza
O Vaqueiro e o Mourão

A Plebe e a Realeza
No Duro ou na Moleza
Tem Honesto e “Inrrolão”
A Dúvida e a Firmeza
Ignorância e Fineza
A Panela e o Fogão
O Fraco e a Fortaleza
O Canhoto e a Destreza
Brabeza e Compaixão
Debilitado e o Forte
Tem Sul e tem o Norte
Tem Melaço e Salmorão

A Tormenta e a Calmaria
O Sossego e a Agonia
O Acanhado e o Pidão
Tem o Pote e a Rudia
Tem o Cego e tem o Guia
Real e Imaginação
Coragem e a Covardia
Mansidão e Valentia
Raladura e Arranhão

O Machucão e a Dor
A inocência e a Malícia
O ódio Puro e o Amor
O azedume e a Delícia
A Quenga e o Gigolô
O Ladrão e a Polícia
Motorista e Cobrador 

O Traquino e o Quietinho
O Sadio e o Doidinho
O “Rapa” e o Camelô
O Café preto e o Leite
O Sofrimento e o Deleite
O Rico e o Sofredor
Tem a Cara e a Coroa
Tem a Popa tem a Proa
A Anestesia e a Dor

O Espinho nasce na Rosa
A Poesia e a Prosa
Do Cético e do Sonhador
Tem o feioso e a Beleza
O Lerdo e a Esperteza
O Novinho e o Sênior

Água contrasta com Vinho
O Doce com o Salgadinho
O Desprendido, O Mesquinho
Profissional e Amador
Tem o Gordo e o Magrinho
O Altão e o Baixinho
Vento e Redemoinho
Tem o Time e o Torcedor
Tem Gigante e tem Anão
A Mentira e a Verdade
O Sabido e o Bestão
A Velhice a Mocidade
O Instante e a Eternidade
Tristeza e Satisfação

O Sincero e a Falsidade
Covardia e Caridade
Tem o Sótão e o Porão
O que Nasce e o Padece
O que Sobe e o que Desce
Clareza e Complicação
Tem o Limpo e o Ceboso
O Fedorento e o Cheiroso
Silêncio e Diapasão
O Insosso e o Gostoso
O real, o de Trancoso
Culpa e Condenação

Música Clássica e tem Forró
Tem o Laço e tem o Nó
Tem Xibiu e Fiofó
“Pior sem Ela” e Salmão
Tem o Homem e a Mulher
Tem Avanço e Marcha Ré
A Gripe e o Picolé
A Primavera e o Verão

Existe o Chique e o Brega
Tem o Shopping e a Budega
Tem o Jumento e a Jega
Tem Macho e tem Boiolão
Tem Cabeludo e Careca
Tem “Cacho” e a Perereca
Tem o Pato e a Marreca
Falador e Caladão

Tudo na vida é Bacana
Aceita toda mistura
"Caviar com Rapadura"
Ou "Chiclete com Banana"
Acho que vou terminar
Acabo de digitar
E uma dúvida me atormenta
Ler será que alguém aguenta?
Engolir ou Vomitar?
Tem Virtude e Malandragem
Civilizado e Selvagem
Isso é Sério ou é Bobagem
Vale SALVAR ou DELETAR?

Fabio Campos, 29 de Fevereiro de 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário